18 Anos, A Maioridade!

É muito tempo! Simbolicamente é atingir a maioridade e assumir as responsabilidades consequentes dela.

É muito tempo! Simbolicamente é atingir a maioridade e assumir as responsabilidades consequentes dela.

Foi um longo período até aqui, desde o primeiro dia em que pretensamente já queríamos ser a referência do Forró em São Paulo e, para tanto, começamos com ninguém menos que Dominguinhos, o maior nome do gênero vivo na época. E, ainda, com Falamansa, o fenômeno de vendas que ajudou o ritmo a se alastrar novamente por todo o Brasil, conseguimos, até agora, ir muito além do planejado, já que passamos a ser uma das referências do Forró global, pois o Forró vem ganhando mais e mais adeptos e amantes por todos os lados, sobretudo no velho mundo.

Se nossa historia começou com Dominguinhos e Falamansa, a história do ritmo começou bem antes, com Luiz Gonzaga, e foi justamente dele que absorvemos nossos maiores ensinamentos para seguir tocando a casa nestes 18 anos.

Foi um grande desafio, primeiro porque o Forró era visto como algo menor, que acontecia normalmente em lugares popularescos (bem diferente de popular), com nenhuma preocupação com decoração, comodidade e , muitas vezes, até com descaso com a limpeza. Qualidade de som nunca foi prioridade e cuidado com artistas e público era sempre relevado a um segundo plano, tudo em nome de uma tradição que não é verdadeira.

Pegamos esse histórico e fizemos tudo ao contrário. Começamos com uma curadoria quase chata de tão minuciosa com relação ao que sobe no nosso palco e ao que sai das nossas caixas de som; depois, investimos em algo nada luxuoso, mas extremamente bem cuidado e com uma coerência de materiais e decoração; seguimos com atenção à limpeza em geral, sobretudo de banheiros, mas também cuidando do salão, não só no pós noite, mas durante, para que a experiência do cliente seja sempre a melhor possível.

Com tudo isso, tocamos nossa vida e nos alegramos dos inúmeros dias históricos e dos mais diversos personagens que aportaram em nosso palco criando uma atmosfera que só locais históricos possuem.

Nesses 18 anos, comemoramos diversos aniversários de Dominguinhos, Oswaldinho do Acordeom, Anastácia e muitos outros. Nesse tempo, lançamos CDs de quase todas as bandas do sudeste e muitas de outros cantos do país.

Colocamos para tocar artistas que hoje são sucessos nacionais quando ainda não eram conhecidos, gente como Mariana Aydar, Marcelo Jeneci, Mestrinho; apoiamos causas como as da ONG de Elba Ramalho e recebemos os maiores aristas da historia do forró, gente como Dominguinhos, Marinês, Trio Nordestino, Os 3 do Nordeste, Flavio José, Santanna o Cantador, Flavio Leandro, Falamansa, Rastapé, Azulão de Caruaru, Bicho de Pé, Genival Lacerda, Camélia Alves e muito mais; tudo isso, além de grandes nomes da MPB que amam o ritmo e vez por outra saçaricam por ele, tais como: Fagner, Geraldo Azevedo, Lenine, Zeca Baleiro, Luiza Possi, Felipe Cordeiro, Antônio Nobrega, Monica Salmaso, Chico Cesar e mais um tanto de gente que vez por outra aparece.

Nesses 18 anos, temos também orgulho de trazer e manter tanta gente dentro do Forró, nomes que o grande público pouco conhece, mas que os forrozeiros veneram, gente como Trio Virgulino, Trio Dona Zefa, Ó do Forró, Dois dobrado, Nando Nogueira, Trio Sabiá, Tiziu do Araripe e por ai vai.

Nossa história continua correndo: são cinco dias por semana há 18 anos, em uma média de, pelo menos, 400 pessoas diárias, um tanto de gente que não dá nem pra contar direito e que se reflete em redes sociais, verdadeira, com mais de 100 mil pessoas no facebook e quase 30 mil no Instagram.

Mas o grande orgulho é ver, por exemplo, uma italiana chorando de emoção por estar no templo do Forró, é ver artistas nordestinos, a nossa fonte, querendo tocar no nosso palco de qualquer maneira , é sobretudo ver que o ritmo é tão forte quanto merece ser, embora ainda muito aquém de onde pode chegar.

Por isso falamos da responsabilidade que a maioridade nos traz. Agora é coisa de adulto e queremos aparecer como gente grande, não apenas o Canto da Ema, mas o Forró. Por isso continuaremos, tomara que pelo menos mais 18 anos e com o sucesso que obtivemos até aqui.

Pretensão? Talvez seja, mas a beleza e a tradição do ritmo e as imagens desses 18 em nossas memórias nos permite isso!

Paulinho Rosa (Outubro/2018)

Tags: Outubro, 2018

Onde Estamos

  • Av Brigadeiro Faria Lima, 364
  • São Paulo - SP
  • CEP:05426-200

Contato

Redes sociais