As Minas Chegando!

Se segura rapaziada que as minas tão chegando.

É isso mesmo, tal qual vem acontecendo na sociedade de forma geral, a igualdade de gênero começa a caminhar também no Forró.

Esperamos que isso realmente aconteça, pois sempre foi um universo muito masculino, e por que não dizer machista, basta ver o histórico das letras.
Mas a questão aqui é menos discutir os conteúdos e sim celebrar o movimento do Forró das Minas, que iniciou neste ano, com um coletivo de meninas que amam o Forró e são excelentes musicistas.

Algumas delas se agruparam, e de forma assertiva e carismática, criaram um movimento que mais do que bacana é necessário, pois precisamos de muito mais mulheres nos palcos de Forró.

Aqui no Canto da Ema, sempre tivemos mulheres no nosso palco; talvez não no plural, pois na maior parte dos tempos eram, quase sempre, algumas cantoras que se revezaram segurando a coroa, quase que solitariamente, nos nossos palcos.

Começou com Maria Paula Godói e Mariana Aydar. Esta ficou pouco tempo, já Maria Paula reinou literalmente nos domingos durante alguns anos; ótima, linda, soberba, energética, a bilíngue cantora. Depois dela, Janayna Pereira, talentosíssima, teatral, grande compositora e intérprete; quando começou, ainda na época de Janaina, assumiu o posto e lá ficou durante vários anos reinando absoluta.

Nesse período, vez por outra apareciam cantoras na casa, gente como Anastácia, Marinês, Carmélia Alves, Amelinha, As Bastianas, Tati do Raiz do Sana, e outras, mas sempre com algumas poucas apresentações.

Um dia apareceu um grupo quase que só de meninas, o Clã Brasil, foi incrível, dele saiu Lucy Alves, que passou a frequentar a casa, menos do que gostaríamos, mas o que a agenda dela permitia.

Também no quesito banda de mulheres surgiu um trio maravilhoso: o Sinhá Flor, com três talentosíssimas cantoras, que talvez, depois das duas cantoras iniciais, tenham sido as que mais tocaram no Canto.

Quem sempre dá as caras, o talento, a alegria, a energia e empresta um pouco de todo seu carisma e enorme sucesso é a Elba Ramalho, presença anual, por vezes mais de uma data por ano, e quase sempre muito bem acompanhada por nomes da nossa música brasileira; entre eles tivemos Luiza Possi.

Mais recentemente uma paraibana arretada da cidade de Zabelê nos deixou encantados e agora a briga é como colocá-la mais frequentemente na programação; estamos falando de Sandra Belê.

Problema parecido ocorre com outra cantora que segue a linha direta de Marinês, com talento, doçura e muita garra, a Bernadette França.

Mas o que mais tem chamado a atenção é que agora não ficamos apenas nas cantoras, também as instrumentistas passaram a ser mais frequentes e cada vez mais variadas. E que venham mais.

Queremos bandas mistas, bandas só de mulheres, bandas que tenham a mescla da nossa sociedade, sejam elas de gêneros, de etnias, credos e/ou classes sociais, exatamente como temos no público, exatamente como é no Brasil.

Mas no Canto da Ema queremos avançar mais rápido e para isso aderimos ao Forró das Minas e com eles resolvemos sacudir esse ambiente masculino abrindo espaço para que mais e mais mulheres comecem a aparecer.

Para isso teremos uma amostra no mês de outubro quando todos os Arrumadinhos do Projeto Forró no Chão, nas quartas-feiras do mês, serão formados apenas por mulheres: sanfoneiras, zabumbeiras, triangleiras, cantoras, rabequeiras, percursionistas, violonistas, cavaquinhistas e por ai vai!

Garotas tocando e cantando cada qual ao seu estilo: mais calmo, mais agressivo, mais tradicional, mais tendendo pra MPB, para o rock, reggae, hap, seja como for, seguindo a tradição de diversidade do Canto da Ema. O conceito continua o mesmo, sendo forró e bem tocado, queremos um pouco de tudo.

Temos um enorme orgulho de iniciar esse projeto, que, por enquanto, é apenas projeto, mas que esperamos que em muito pouco tempo se torne algo corriqueiro, de preferência sem projeto, apenas FORRÓ no Canto; se será de homens ou mulheres, vai depender, pois esperamos estar bem divididos. Na verdade, a sorte dirá, pois o talento é o mesmo e as chances também!

Paulinho Rosa (Setembro/2018)

Tags: Setembro, 2018

Onde Estamos

  • Av Brigadeiro Faria Lima, 364
  • São Paulo - SP
  • CEP:05426-200

Contato

Redes sociais